10 de janeiro de 2016

O altar em que prestamos culto

Vemos até hoje em muitas igrejas a figura do altar. Geralmente é o lugar onde está o ministro, o púlpito e demais objetos de culto. Mas será esse realmente o altar em que temos que prestar culto?

Para iniciar, pedimos a você amigo(a) leitor(a) que não nos entenda mal. Nosso intuito não é tirá-lo de sua denominação ou grupo congregacional e sim trazer à baila, conforme as Escrituras, toda a verdade. 

Vamos tentar resumir ao máximo o tema. Para entender o significado e a importância do altar, é preciso voltarmos ao Antigo Testamento. Antes mesmo da existência do templo edificado por Salomão, o Criador instituiu várias liturgias de culto ao povo de Israel ainda no deserto. Foi construída uma tenda que se montava e desmontava de acordo com a necessidade de locomoção. Dentre os vários artefatos e objetos, um dos mais importantes era o altar. 

"Farás também o altar de madeira de acácia; cinco côvados será o comprimento, e cinco côvados a largura (será quadrado o altar), e três côvados a sua altura. E farás as suas pontas nos seus quatro cantos; as suas pontas serão do mesmo, e o cobrirás de cobre. Far-lhe-ás também os seus recipientes, para recolher a sua cinza, e as suas pás, e as suas bacias, e os seus garfos e os seus braseiros; todos os seus utensílios farás de cobre. Far-lhe-ás também um crivo de cobre em forma de rede, e farás a esta rede quatro argolas de metal nos seus quatro cantos.E as porás dentro da borda do altar para baixo, de maneira que a rede chegue até ao meio do altar. Farás também varais para o altar, varais de madeira de acácia, e os cobrirás de cobre. E os varais serão postos nas argolas, de maneira que os varais estejam de ambos os lados do altar, quando for levado. Oco e de tábuas o farás; como se te mostrou no monte, assim o farão." Êxodo 27:1-8

O altar era mais ou menos conforme a ilustração dessa postagem. Sem ofensas, o lugar onde ministros pregam está mais para um palco que para um altar, até porque o altar físico perdeu sua utilidade e você entenderá porque.

Por assim dizer, antes da instituição do culto, os patriarcas já faziam seus altares de pedras ou subiam em montes para prestarem seus sacrifícios. Daí temos que ir para o segundo elemento: o sacrifício. 

Não dá para falar do altar sem mencionar o sacrifício e ofertas que nele eram prestados. Existiam vários tipos que não entraremos em detalhes: O holocausto (Levíticos 1:3), Oferta de Manjares (Levíticos 2:4), Ofertas Pacíficas (Levíticos 7:29), Oferta pelo Pecado (Levíticos 4:1), Oferta pela Culpa (Levíticos 6:5).

Perceba que em todas as ofertas existia a participação do sacerdote, que era a pessoa escolhida pelo Eterno para interceder em favor dos demais. Acontece que o véu do templo se rasgou de alto a baixo (Mateus 27:51) e temos liberdade para adentrarmos diante da presença do Altíssimo o que era restrito tão somente a tribo de Levi (Hebreus 10:19-23). Tal liberdade conforme o texto de Hebreus no versículo citado anteriormente  é justamente pelo sacrifício perfeito, o sacrifício de Jesus.

"Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez. E assim todo o sacerdote aparece cada dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar os pecados; Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés. Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados. E também o Espírito Santo no-lo testifica, porque depois de haver dito: Esta é a aliança que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor:Porei as minhas leis em seus corações,E as escreverei em seus entendimentos; acrescenta: E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniquidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado." Hebreus 10:10-18

Ora, se houve um perfeito sacrifício e não é necessário e até inútil oblação pelo pecado, então por que cultuar um altar? O altar físico não cultuamos mais, até porque o sacrifício perfeito já foi feito, mas temos sim um altar:

"Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça, e não com alimentos que de nada aproveitaram aos que a eles se entregaram. Temos um altar, de que não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo. Porque os corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial. E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta. Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério. Porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura. Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada." Hebreus 13:9-16


Quem serve ao tabernáculo? O sacerdote. O texto acima mencionado diz que o sacerdote não tem direito de comer do altar que temos. Logo nosso altar não é físico ou terreno e sim espiritual, santificado pelo sangue do Cordeiro perfeito.

Uma dica: Estude o livro de Hebreus e entenda porque tudo o que aconteceu no passado foram sombras das coisas futuras.

"Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam." Hebreus 10:1





Empregado Público Federal, adoro escrever e faço isso em três blogs de minha autoria e edição.

Comentários
0 Comentários