Existência do rei bíblico Ezequias é provada por marca de selo achada em Jerusalém - Espaço da Fé

Espaço da Fé

Uma mensagem de fé e esperança para sua vida.

5 de dezembro de 2015

Existência do rei bíblico Ezequias é provada por marca de selo achada em Jerusalém

Uma marca do selo do rei bíblico Ezequias foi encontrada por arqueólogos israelenses da Universidade Hebraica de Jerusalém. Segundo as Escrituras Sagradas, o rei ajudou a transformar Jerusalém em uma metrópole na antiguidade.
A inscrição circular foi feita em uma peça de argila de menos de um centímetro de comprimento. Eilat Mazar, pesquisadora que dirigiu a escavação, sugere que o próprio rei possa ter produzido o selo.
Ezequias reinou aproximadamente no ano 700 a.C. e foi descrito na Bíblia como um governante ousado e dedicado a eliminar a idolatria em seu reino, "de modo que não houve ninguém semelhante a ele, entre todos os reis de Judá, nem antes nem depois dele" (2 Reis 18:5). 
"Essa é a primeira vez que a impressão de um selo de um rei israelita ou da Judéia veio à luz em uma escavação arqueológica científica", afirmou Mazar.
A impressão na argila, conhecida como bula, foi descoberta junto ao pé de um muro que cerca a Cidade Velha de Jerusalém, uma região rica em relíquias do primeiro templo judeu antigo.
O artefato estava enterrado em uma área de descarte de dejetos que remonta aos tempos de Ezequias, e provavelmente foi atirado de um edifício real, segundo Mazar. A peça contém escritos em hebreu antigo e o símbolo de um sol com duas asas.
A bula já havia sido catalogada, juntamente com outras 33, após uma primeira inspeção que não conseguiu detectar sua verdadeira identidade. 
Apenas cinco anos mais tarde, quando um membro da equipe a examinou sob uma lupa e discerniu pontos entre algumas letras, é que seu significado ficou claro: "Pertencente a Ezequias (filho de) Acaz, rei de Judá".
"Sempre surge a pergunta 'quais são os fatos reais por trás das histórias bíblicas?'", disse Mazar. "Aqui temos a chance de chegar tão perto quanto possível da própria pessoa, do próprio rei".

Nenhum comentário: