13 de abril de 2015

Pai, Filho e Espírito Santo...Um Único Deus!


Edifiquem-se, porém, amados, na santíssima fé que vocês têm, orando no Espírito Santo. Mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve para a vida eterna.
(Judas 1:20,21)
        
Embora a palavra Trindade ou TRIUNIDADE não apareça na Bíblia, esta claro que DEUS é UM e que se manifesta por três “pessoas”.  É fundamental compreendermos esta particularidade para podermos lidar com quem é Deus, como Ele é, como Ele atua, e como Ele Se relaciona com o mundo. Acima de tudo, é essencial aceitarmos a divindade de Cristo e do espírito Santo e seu papeis no plano da salvação.

As distinções entre Deus Pai, Jesus e o Espírito Santo encontradas na Bíblia devem ser percebidas como a forma pela qual Deus está em Si mesmo, por mais difícil que seja para nossa mente entender.


Cremos e ensinamos que Deus é UM em essência, subsistindo por si mesmo, plenamente suficiente, invisível, incomensurável, eterno, criador de todas as coisas, visíveis e invisíveis, o supremo-bem, vivo, vivificador e preservador de todas as coisas, onipotente e supremamente sábio, misericordioso, justo e verdadeiro. Nós adoramos a UM só Deus e abominamos a pluralidade de deuses. “O Senhor nosso Deus é o único Senhor” (Deuteronômio 6.4). “Eu sou o Senhor teu Deus. Não terás outros deuses diante de mim” (Êxodo 20.2-3). “Eu sou o Senhor, e não há outro; além de mim não há Deus. Deus justo e Salvador não há além de mim” (Isaías 45.5.21). “Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo, e grande em misericórdia e fidelidade” (Êxodo 34.6).

Sabemos que a própria Bíblia se interpreta, e diz claramente que Deus é um Deus Triuno, quando afirma que são três que dão testemunho no céu, e estes três são “UM” (1 João 5:7). Se a Bíblia ensina que Deus é UM em TRÊS, e declara que estes TRÊS são UM, isto tem que ser assim, por mais incompreensível e contraditório que nos pareça.
  
O Novo Testamento não expõe as pessoas da Trindade apenas de forma isolada. Ele os une em várias afirmações fortes e gloriosas em que o Pai, o Filho e o Espírito são apresentados em pé de igualdade, mas com distinção (Mt 28.19; Mt 3.16-17; Jo 14.26; 2Co 13.14).
A Bíblia diz que os três possuem a mesma virtude, exercem os mesmos poderes e são igualmente divinos e eternos. “Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?”
 (Hebreus 9:14).

Também diz que Deus-Pai não veio morrer na cruz do calvário, mas que enviou Jesus, seu Filho, o qual a Bíblia declara ser Ele também Deus (1 Timóteo 3:13-16).  Por outro lado, Jesus declarou que nada do que diz, tem ou faz, é de si mesmo, mas sim de Deus-Pai que lhe enviou (João 5:19-23,30). Este Filho também declarou que tudo o que tem o Pai é d´Ele, e, ao mesmo tempo, ensinou que Ele não é o Pai (João 14:8-10; João 16:15).

Também esta na palavra que não é o Pai nem Filho, que convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo, mas sim o Espírito Santo (João 16:8). O próprio filho se encarrega de confirmar Sua identidade com o Espírito Santo, ao dizer: “Um pouco, e não mais me vereis; outra vez um pouco, e ver-me-eis" (João 16:16 João 14:28).

Não seriam afirmações absurdas, se Deus fosse uma única pessoa e não Triuno?  Se não existisse triunidade, como poderíamos compreender este mistério de Deus, ser chamado Pai e ao mesmo tempo Filho ou de Espírito Santo? A Bíblia não só nos ensina tudo isto, como também declara que a estas três pessoas devemos render culto, adorar e dar toda a glória (Atos dos Apóstolos 5:3; João 5:19-23).

Cientes de tais coisas, cremos e ensinamos que não há três deuses, mas três pessoas, consubstanciais, co-eternas e co-iguais, sem qualquer desigualdade. Segundo a natureza ou essência, acham-se tão unidas que são Um Deus, e a essência divina é comum ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.



Comentários
0 Comentários