5 de fevereiro de 2015

Sobre Divórcios e Separações/ About Divorces and Separations

Mateus 19:3-9
3 Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?
4 Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez,
5 E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne?
6 Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.
7 Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio, e repudiá-la?
8 Disse-lhes ele: Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas ao princípio não foi assim.
9 Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério.

Atualmente, temos visto em toda a sociedade uma onda de separações e divórcios como nunca havíamos visto antes. O perigo é que essa tendência tem sido vista também na Igreja do Senhor. E qual a razão de tanta dissolução de lares? O principal motivo é o fato de estarmos olhando para fora do alvo. Só para não esquecermos: o nosso alvo é Cristo.
É facilmente perceptível, nos versículos anteriores, a visão de Jesus a respeito do matrimônio, pois que o próprio Deus estabeleceu a instituição do casamento, dizendo: “Portanto, deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.” Gn 2: 24
No entanto, o que vemos, além dos muros da Igreja e na contramão da vontade do Altíssimo, é uma série de práticas e de condutas, vindas tanto de organizações não estatais, quanto do próprio estado, que diminuem a importância da família tradicional e incutem na sociedade um ideal de família cujo padrão foge ao estabelecido na Santa Palavra. Nesse cenário, a mulher deixou de ser a principal educadora, a dona do lar, e o homem deixou de ser o provedor.
O que existe é uma mistura de interesses que fazem com que os papeis dentro da família se confundam e, muitas vezes, se invertam, de forma danosa: a mulher “ganhou o mundo”. Libertou-se da “prisão” do matrimônio. E o homem, deixou o padrão monogâmico e passou a deleitar-se com as inúmeras ofertas de prazeres de ocasião, abandonando o ideal do verdadeiro lar cristão.
Cuidado, amados! Os que estão em Cristo, ou seja, os espirituais, enxergam o mundo de maneira diversa às demais pessoas. Como afirma o apóstolo Paulo na primeira carta aos Coríntios: “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.” 1Co 2: 14-15.
Desse modo, não podemos comprar a ideia de que a família mudou de padrão. Essa é uma falácia. As coisas de Deus são irrefutáveis e não mudam conforme o curso da sociedade. Mantenhamos, então, os olhos abertos, pois tudo conspira contra o Reino dos Céus, ou seja, tudo concorre para que deixemos de lado as coisas que realmente importam.
Que o seu lar seja abençoado e indissolúvel, em o nome do Senhor Jesus. Amém!

A paz esteja convosco!

Créditos da imagem: http://www.mundocristao.com.br/    


Comentários
0 Comentários