Cristão, SIM! Idólatra,JAMAIS! - Espaço da Fé

Espaço da Fé

Uma mensagem de fé e esperança para sua vida.

6 de dezembro de 2014

Cristão, SIM! Idólatra,JAMAIS!


Que fique claro que qualquer imagem, seja escultura em metal, gesso, pedra ou madeira; gravuras, pinturas e artefatos religiosos; ou mesmo planetas e estrelas; pessoas, riquezas e bens que venham a ocupar em nosso coração o primeiro lugar, e se transformem em motivo de adoração, culto, reverência, veneração e amor desmedido se constitui em idolatria.
Lembre-se que há um só Deus e um só Senhor. Que somente ELE é digno de toda honra, louvor e adoração. A idolatria conduz o homem ao pecado e ao distanciamento de Deus e trará sobre a vida do idólatra tristeza, desgosto, destruição e condenação. Então, faça uma sincera análise da sua vida, veja se há algo ocupando este altar que pertence unicamente ao senhor e desprenda-se desta terrível idolatria. Que o poderoso Deus seja o primeiro, o único, o absoluto e a paixão maior do seu coração. "não vos volteis para os ídolos, nem façais para vós deuses de fundição. Eu sou o Senhor vosso Deus" - Levítico 19:4
Amigo, irmão em Cristo entenda que Orar (Rezar?) às imagens, ou aos “santos” que elas representam é ABOMINAÇÃO perante Deus, pois quem o faz esta fazendo uma consulta aos mortos, uma vez que aquela imagem representa uma pessoa morta. (Dt 18.10-14Ou seja, se a pessoa já morreu, e estava em Cristo, agora aguarda a ressurreição. (I Co 15.20 Então pense: Como esta pessoa poderia interceder pelos vivos? Não se confunda com doutrinas espíritas que pensam estar fazendo contato com os que já partiram e crendo que estes tem alguma forma de agir em favor dos homens. Segundo a Bíblia, Jesus é o único intermediário entre Deus e os Homens (I Tm 2.5, At 4.12, Jo 3.13).

"os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos do homem. têm boca, mas não falam; têm olhos, mas não veem; têm ouvidos, mas não ouvem; têm nariz, mas não cheiram; têm mãos, mas não apalpam; têm pés, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta. Semelhantes a eles sejam os que os fazem, e todos os que neles confiam" (Salmo 115:4-8)

Bem sei que alguns relacionam as imagens ao uso de fotografias de entes queridos, ou seja, como se fossem uma lembrança. Não é mesmo? Do mesmo modo argumentam que temos estátuas de figuras ilustres, como por exemplo: Tiradentes. Mas agora eu lhe pergunto: Você já viu alguém fazer o sinal da cruz em frente a estátua de um personagem histórico, ou diante de uma fotografia do parente que morreu? Ou ainda: Você acha que acender velas e fazer pedidos é uma forma de "lembrar" de alguém? Deus condena o uso de figuras de homens com tal objetivo. Não é minha opinião. Esta na Bíblia! (Dt 4.16, Mt 4.10)

Não fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura, nem estátua, nem poreis pedra figurada na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque eu sou o SENHOR vosso Deus (Levítico 26:1)

"portanto, meus amados, fugi da idolatriaI Coríntios 10:14

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” João 8:32

7 comentários:

Neiva Silva disse...

Ótima esta colocação sobre a idolatria. Toda forma de idolatria é abominável diante de Deus.
Está escrito no livro de Ezequiel 14:6 b “Arrependam-se e abandonem os seus ídolos nojentos.” ( Nova Tradução na Linguagem de Hoje.)

Anônimo disse...

Conhecereis a verdade e a verdade vos libertarás! De Pedro a Francisco e cerca de cem mil mártires somente nos três primeiros séculos! 2000 anos de história e fé: o povo de Deus saiu de Antioquia na Turquia, depois para Roma e para o mundo e durante todo este tempo o demônio não conseguiu destruir a Igreja de Jesus.
Em Mateus 16:18: Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
A INVENCÍVEL IGREJA CATÓLICA - As portas do inferno não prevalecerão contra ela. DOIS MIL ANOS DE IGREJA
Então, é de se perguntar: por que, voltam-se contra ela tantas forças tenebrosas, num laicismo anti-católico indisfarçável?
Idolatria conversa fiada. Desde quando Santo Antônio ou Santa Terezinha ou qualquer outro santo da igreja católica foi considerado Deus? Só um débil mental acredita nesta conversa fiada. Estas pessoas foram os verdadeiros cristão que construiram e levaram por todo o mundo as palavras de Jesus, verdadeiros cristãos, ou seja, os únicos até a tentação de Lutero pelo demônio que criou os ditos protestantes.

Ney Bellas disse...

Caro, Anônimo...em primeiro lugar, como blogueiro que sou, quero lhe agradecer, primeiramente por ler o post e também por ter optado por deixar seu comentário, espero tê-lo conosco, participando e opinando nos próximos posts. Obrigado! Volte Sempre!

Ney Bellas disse...

Dita estas coisas, agora, sim, vamos falar sobre seu comentário. Pois, bem, em seu primeiro parágrafo, concordo com tudo que disse e destaco dois pontos excelentes: os mártires que pagaram com suas vidas para pregar o evangelho e a correta menção que o demônio nunca conseguiu (nem conseguirá!) destruir a Igreja de JESUS. Ou seja, o evangelho foi (e é!) pregado, independente das opiniões e do custo desta missão, e a verdadeira Igreja é o corpo de Cristo, aqueles que tem e obedecem seus mandamentos (Jo 14:21), esses, sim, são a Igreja de Jesus.
No segundo parágrafo, você, assim como a maioria dos católicos demonstra certa confusão. Primeiro apontando para Pedro como se ele fosse a ROCHA sobre a qual a Igreja foi edificada. (Mt 16:18), quanto a isto recomendo que leia as palavras do próprio Pedro no livro de Atos, quando diz:” Este Jesus é a pedra que foi rejeitada por vós, os construtores, a qual foi posta como pedra angular” (Atos 4:11) Se o amigo ler o capítulo 16 de mateus poderá notar que Jesus não estava se referindo a Pedro, mas à confissão de fé que Pedro fez no versículo 16: "Tu és o Cristo, o filho do Deus vivo." Jesus nunca havia explicitamente ensinado a Pedro e aos outros discípulos a plenitude de Sua identidade, e Ele reconheceu que Deus tinha soberanamente aberto os olhos de Pedro e lhe revelado quem Jesus realmente era. A sua confissão de Jesus como o Filho de Deus jorrou do seu ser, formando uma declaração sincera da fé pessoal de Pedro em Cristo. É essa fé pessoal em Cristo que é a marca do verdadeiro cristão. Todos aqueles que têm colocado a sua fé em Cristo, assim como Pedro o fez, formam a igreja. Pedro declara esta verdade em 1 Pedro 2:4: "Chegando-vos para ele (Jesus), pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa, sois vós também quais pedras vivas, edificados como casa espiritual para serdes um sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo." Em outras palavras, Pedro teve um grande papel na Igreja primitiva e sua vida narrada nos evangelhos nos dá excelentes noções de como sermos verdadeiros cristãos. CONTINUA...

Ney Bellas disse...

PROSSEGUINDO, noto que ao citar Pedro e a Igreja Católica, o amigo tenta, com base no que lhe foi dito e ensinado, apontar a figura de Pedro como o primeiro Papa. Mas isto não é verdade. Pedro, além de nunca ter ido a Roma, sequer viveu além do primeiro século e a igreja romana só foi instituída no séc III, por Constantino que “legalizou” o Cristianismo pelo Edito de Milão, em 313 d.C. Mais tarde, em 325 d.C, Constantino conclamou o Concílio de Nicéia, em uma tentativa de unificar o Cristianismo. Constantino aparentemente achou que, com o Império Romano sendo tão grande, vasto e diverso, nem todos concordariam em abandonar seus credos religiosos e abraçar o Cristianismo. Então, permitiu, e mesmo promoveu a “cristianização” de crenças pagãs. Crenças completamente pagãs e totalmente não-bíblicas ganharam nova identidade“cristã”. A origem da Igreja Católica é a trágica mistura de Cristianismo com religiões pagãs que o cercavam. Ao invés de proclamar o Evangelho e converter os pagãos, a Igreja Católica “cristianizou” as religiões pagãs e “paganizou” o Cristianismo. Paulo já nos alertava quanto a isso em sua 2ª carta a Timóteo, capitulo 4, versículos 3 e 4: “Porquanto, chegará o tempo em que não suportarão o santo ensino; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, reunirão mestres para si mesmos, de acordo com suas próprias vontades. Tais pessoas se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos” Enfim, a "conversão" de Constantino, provavelmente nunca ocorreu - lembrando que seu batismo se deu apenas em seu leito de morte - ele apenas enxergou na crescente religião um instrumento para unir um Império que já dava sinais de desgaste. CONTINUA...

Ney Bellas disse...

continuando...Ainda no segundo parágrafo, você cita, novamente Mateus 16:18b (igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela). Quanto a isso, você e muitos citam essa passagem como se o inferno fosse atacar a Igreja com portas. Algo no mínimo hilário, o que o texto está dizendo, obviamente é que o inferno não terá portas para resistir a uma invasão, uma tomada de almas impetrada pela igreja. Que, não é a Igreja católica, mas sim a Igreja Cristã, cujo corpo é formado, por convertidos, arrependidos, batizados, que cumprem a palavra de Deus. Outro equívoco, de sua parte é achar que o catolicismo é invencível, pois o que de fato é invencível é o NOME DE JESUS. Que de algum modo, ainda é anunciado nas igrejas católicas; daí estas desfrutarem do poder e da proteção concedida pelo mesmo. Isso se chama misericórdia de Deus!
Outrossim, quero ressaltar que não me volto contra a Igreja católica, em si, mas sou contrário as abominações ensinadas por ela. CONTINUA...

Ney Bellas disse...

Por fim, noto que vc não entendeu o que é idolatria, e pensa que tenho algo contra os “santos” católicos. Em primeiro lugar, entenda que santo significa separado, no contexto bíblico, todos os convertidos são santos escolhidos por Cristo. O evangelho não aponta para o perfeccionismo, nem para o isolamento do mundo. Antes nos conduz, em igualdade a presença do Pai, pois todos pecamos e destituídos estamos da glória de Deus (Rm 3:23). Logo, a Boa Nova de Salvação, não vem por boas obras, mas pela fé e pela graça de nosso Senhor Jesus. Algo que ninguém merece, nem conquista.
Quanto ao fato dos mártires do cristianismo serem pessoas dignas de serem lembradas, concordo com você. Claro que são! Porém, lembrar de alguém, e até mesmo honrar sua memória, não envolve a confecção de imagens, assim como também não tem nada a ver com o acender velas perante estas imagens, e MUITO menos se fazer pedidos e orar a estas pessoas. Idolatria não é achar que estas pessoas são deuses, mas ver nelas alguém capaz de dar solução, alivio ou intercessão perante Deus. Isso é abominável, pecado grave que afasta do Homem de Jesus, nosso ÚNICO e SUFICIENTE SALVADOR, que é QUEM intercede por nós.
Por já ter me alongado demais, falarei noutra ocasião sobre Lútero e o Protestantismo, algo que notadamente você não tem qualquer conhecimento.
Encerro minhas palavras aconselhando o amigo a buscar a leitura da palavra, a orar em seu quarto, falando diretamente a Cristo, para ELE lhe conceda sabedoria e discernimento nestas questões.
Paz!